quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Barco ao mar

Barco ao mar Texto da Monja Coen publicado no jornal O Globo de 28/05/2015 Ele não está perdido no oceano do nascimento, velhice, doença e morte. O voto de fazer o bem a todos os seres nos leva ao porto seguro Estamos a sós e sem SOS. Não há terra à vista. Não há outros barcos. Não há outros seres humanos. Não há água potável. Os alimentos terminaram e já não temos mais força para continuar, pois os remos se foram, a vela se perdeu e o barco não tem motor. O que fazer? Sobreviver. Não são apenas os náufragos, em pequenos botes, atravessando mares e oceanos à procura de uma vida melhor, que morrem nas águas salgadas. Alguns arremessados por seus companheiros, outros caídos de fraqueza. E ainda há aqueles que não são acolhidos em nenhum país, que não recebem permissão de desembarcar em nenhum porto. Existe um porto seguro? Há um local além do bem e do mal? “Não há nada seguro neste mundo”, era o que dizia Buda. Há quem tenha casa, carro, emprego e se sinta como o naufrago sem eira nem beira. Não ouve, não vê, não cheira. Perde o contato com a realidade, vive na fantasia da depressão, da solidão, da angústia, da raiva, da revolta. Vítima de si mesmo, culpa a tudo e a todos. A culpa é do partido político, é do governo, é do povo. A culpa está em toda parte, menos em si mesmo. E todos são julgados e decretados culpados. Apenas o eu menor, cheio de si mesmo, preso ao seu corpo de dor, sente a sua grandeza. “Ninguém sofre como eu sofro.” De certa forma, é verdade. O sofrimento de cada pessoa é único e o maior de todos, pois é o seu. Entretanto, se e quando somos capazes de sair do casulo individualista, podemos abrir as asas devagar e, talvez com certa dor, voar além de nós mesmos. Esse é o ensinamento de Buda, o ensinamento Zen. Além, muito além repousa o Eu Maior. Esse além é bem aqui, neste momento, neste local. No agora. Tranquilo e faceiro, em presença absoluta, aprecia a vidamorte, sem resmungar e reclamar. No barco, perdidos e sós, ainda podemos respirar. A dor nos lábios nos força a torná-los imóveis, calados. A língua grossa se alegra no silêncio das palavras. Vemos o mar e reconhecemos as nuances de azul e verde das águas, dos céus. Tantas possibilidades. O Sutra do Coração da Grande Sabedoria Perfeita se inicia assim: Quando Kannon Bodisatva praticava em profunda Sabedoria Perfeita claramente observou o vazio dos cinco agregados, assim se libertando de todas as tristezas e sofrimentos. O ser iluminado, símbolo da compaixão ilimitada — Kannon Bodisatva — pratica, exerce a sabedoria perfeita. Vê com clareza, observa em profundidade e percebe que não há nada fixo ou permanente. Tudo flui como as águas do mar. Cinco agregados são a forma física, as sensações, percepções, conexões neurais e consciência. Isso constitui um ser humano e este está sempre se transformando, transmutando. Cada momento é único e nosso olhar profundo revela que a tristeza e o sofrimento também não são fixos nem permanentes. Isso é libertação. É capacidade de apreciar a vida em seus múltiplos momentos únicos e diversos. O barco não está perdido no mar do nascimento, velhice, doença e morte. Quando fazemos o voto de fazer o bem a todos os seres, as águas levam o barco tranquilo ao porto seguro do contentamento e da apreciação da existência. Não estamos a sós. Respiração consciente, presença absoluta levam à apreciação do tranquilo cessar das oscilações da mente.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

A volta...

Sim, preciso escrever agora. Viajei para o sul e parece que ao voltar minha memória esqueceu que eu já saí daqui sem fumar. Terminei de almoçar e uma vontade me invadiu de jeito. Mãos suadas, pensamento incessante, uma necessidade absurda de acender um cigarro. Sua cabeça manda como se aquilo fosse útil para sua sobrevivência. Ela te engana, diz que você já superou o vício, que se fumar só este cigarro irá jogar o resto fora... Você começa a pensar onde compraria a droga, como seria bom fumar, o barulho da brasa ascendendo... -Nesse interim- Uma voz baixinha, lá no fundo ecoa: Escreva Marília, escreva! É como se ela já soubesse, já entendesse que essa vontade passará, basta que eu tenha calma e me entretenha com algo diferente. Aos poucos vou sentindo que a vontade vai ficando mais leve... aos poucos vou me recordando do cheiro horroroso do cigarro, dos dias que já passei sem ele, do câncer de pulmão que ele me traria, do gosto nojento na boca ao acordar, das dores de cabeça... Não existe lado bom nesse vício. Mais um pouco de tempo passa, a vontade continua diminuindo e sim, ela passou. Ela passou uuuuuuhhhhhhuuuuu! !! Eu venci mais uma vez! Que maravilha! Penso que são esses desejos que algumas religiões chamam de pecado. O "demônio" chega e você não sabe o que fazer, não consegue se segurar, quer fazer aquilo de qualquer jeito. Cada um entende do jeito que achar melhor, né?! Acho que se trata mais de mim do que do outro. Veja bem, olhe com carinho para você e perceba, estás caíndo nas garras dos seus desejos incosncietes, estás cedendo a tentação do animal não pensante que existe em ti. O vício do cigarro é um dos meus demônios e hoje eu venci a batalha mais uma vez. Lambeijos de felinista guerreira!

quarta-feira, 22 de julho de 2015

O VÍCIO DA PEDRA

Acabei de postar um texto sobre vícios e manter a consciência perante a vida. Então, meu tio leu e comentou:

"Vícios são, realmente, grilhões na nossa vida. Li em algum lugar que, às vezes, encontramos pedras nos nossos caminhos e que, em alguns casos, nos afeiçoamos a essas pedras!"

Essas palavras me levaram até a experiência de imersão espiritual tântrica que tive há pouco tempo.

Vamos falar sobre pedras!

Quando resolvi fazer a imersão tântrica, não sabia direito do que se tratava, na verdade, já havia lido tudo que podia a respeito do assunto, mas mesmo assim, não conseguia entender completamente o que estava por vir. Olha aí novamente as expectativas nos furtando do agora...

Quando chegamos lá, o primeiro assunto do terapeuta foi sobre expectativas. Ele perguntava quais as expectativas havíamos suprido sobre o encontro.

Eu respondi que estava cheia delas.
       
Ele disse pra mim: viva o agora (não entendi naquele momento exatamente o que ele dizia).

Lá, nós não comeríamos carnes e nem usaríamos nenhum tipo de droga como álcool ou cigarro.

Ficamos lá por 4 dias, eu estava em paz, tão em paz que me permiti viver um dia de cada vez. Não senti nenhuma falta do cigarro.

Como pode?!?!

O próximo assunto seria sobre a pedra.

Então, o terapeuta pediu que nós pensássemos sobre pessoas com as quais temos problemas, pessoas as quais não perdoamos,  pessoas pelas quais nutrimos raiva, mágoa, ódio e solicitou que pensando nessas pessoas, cada um de nós procurasse e pegasse uma pedra para chamar de nossa após o almoço.
Pediu também que ficassemos com essa pedra 6 ou 8 horas direto (não me lembro bem o tempo).

Como assim, direto?

Nós iríamos tomar banho com a pedra,  iríamos comer com a pedra, iríamos fazer a massagem com a pedra,  iríamos dormir com a pedra, nós iríamos viver com aquela pedra.    

Acabado o horário de almoço, lá vou eu em busca de minha pedra.

A idéia era pegar a pedra que você se identificasse, a pedra que chamasse sua atenção, você precisava ter empatia pela pedra.

O local era lindo, um sitio maravilhoso onde ouviamos a natureza vivendo.

Caminhei, caminhei... cheguei a um círculo, imaginei que ali era o lugar onde as mulheres faziam as danças circulares... olhei para o lado e lá estava minha pedra. Bem redondinha, pensei: é claro que a pessoa tem tudo a ver com a pedra.

Me abaixei e peguei a pedra, imediatamente ela esfarelou na minha mão. Achei estranho... a pedra esfarelou?

Algo soava estranho, resolvi cheirar minha mão. .. Era cocô!

Sim, cocô porra, cocô de algum bichinho... fiquei muito puta da vida!

A pessoa me manda pegar uma Pedra pra lembrar de alguém que tenho mágoa e quando vou pegar a pedra que escolhi ela vira cocô?

É a vida te trolando e sorrindo na tua cara.

É o simbolismo marcante que te mostra que tudo faz sentindo e nada está no lugar errado.

 -Nem eu naquele momento- de cocô na mão.

Fiquei injuriada e disse que não procuraria mais nenhuma pedra.

Quando voltei e contei para todos que minha pedra era cocô todos riram e ví a pedra de uma querida anja que estava por ali, ví que a pedra dela mais parecia um tijolo.

Achei então que meu cocô nem era tudo isso perto do tijolo dela.

Voltei e peguei minha pedra, no meu imaginario, ela tinha um formato de arma.

Pois bem, fomos eu e a Pedra tomar água, escovar os dentes... Logo depois, eu e a Pedra fomos conversar com as pessoas, fomos brincar com as crianças que estavam por lá e resolvi ir dormir, com a pedra...

E quem disse que eu dormi?

        -pensamentos-

O terapeuta falou para segurar a pedra na mão, se eu colocar a mão com a pedra em cima do peito e relaxar para dormir será que vou estar infringindo a terapia ou só pode segurar mesmo?

Caraca quero colocar essa raiva em cima do meu peito? Não, né Marilia?! (Ingenuamente como se a pedra já não estivesse dentro dele)

Vou colocar em cima da minha barriga, puxa vida, vou colocar a pedra onde eu gero coisas boas? Perto do meu útero? Não, né Marília?!  

Onde diabo vou colocar essa droga dessa pedra com essa mão? (Nesse momento não era mais a mão com a pedra, a pedra já fazia parte da mão.)

O tempo passou e eu segui pensando na pedra, na pessoa, na mão, na mágoa, na raiva e tudo aquilo foi se tornando parte de mim, adormeci bem leve e logo levantei para tomar banho com a pedra.

Eu realmente passei todo o tempo determinado com a pedra.

O meu companheiro -Heitor- quando estava me fazendo massagem ficou com tanta raiva que jogou a pedra longe. Ele disse que não aguentava mais fazer massagem pensando na "pedra" da vida dele.

Em algum momento eu também tirei da mão e coloquei ela dentro do meu bolso pois precisava me concentrar na massagem... outras pessoas colocaram dentro da blusa, em cima do peito...

Por fim, quando o tempo terminou o terapeuta pediu para que nós refletissemos a cerca de tudo o que vivemos com aquela "pedra".

Pediu que tentássemos perdoar a pedra e a nós mesmos que éramos parte da pedra, já que a pedra era parte de nós.

Naquele momento, quem quisesse  já poderia se desfazer da pedra...
                 
E quem disse que eu queria me desfazer da minha pedra?

Algumas pessoas jogaram no mato, outras guardaram no bolso.

A minha foi guardada para quando eu estiver pronta, entregar para a Pedra, ops, a pessoa em quem pensei.

A do heitor está no carro dele até hoje.

E você?

O que você fez com a sua pedra?

Esse vício já se tornou parte de você?

"Vícios são, realmente, grilhões na nossa vida. Li em algum lugar que, às vezes, encontramos pedras nos nossos caminhos e que, em alguns casos, nos afeiçoamos a essas pedras! Poxa, como complicamos as coisas."

Esse texto vai especialmente para a pessoa que me inspirou.

Obrigada meu Tio Rônie!

Lambeijos!

O dia da preparação - vamos viver conscientes

Sei que estou um pouco atrasada, mas não parei de escrever. Meu celular teu um memo (incrivel kkk) que eu escrevo tudo e depois passo pra cá.


Hoje dia 17.07.2015 O DIA

Ontem quando acordei tive uma grande vontade de parar de fumar,  mas já sabia que aquela não ia ser a hora. Estava no período que chamamos de fase de contemplação, eu queria parar de fumar, mas estava sentindo pena de parar de fumar... olha que loucura. O Drauzio Varella explica bem direitinho aqui nesse link.

http://drauziovarella.com.br/dependencia-quimica/para-parar-de-fumar/

Mas tudo bem, ontem foi como se chama:

                     O dia da preparação.

Baixei app de celular, entrei em grupos de zap, em grupos de facebook, li uns 500 textos sobre o vício do fumo, sobre todo o mal que ele fez, sobre a dignidade que com o tempo ele tira de você e por fim fiz a minha despedida da vida de fumante, terminando a noite liNdamente conversando com minha irmã Nathália sobre inúmeras pequenas grandezas, entre elas o quanto o cigarro nos furta a consciência, o quanto ele nos toma o momento do agora.

Ela disse que uma vez conversando com o namorado dela, ele falou: Nathalia, não atrele cigarro a emoções.

Nosssa, foi como um bummm!! Essa frase fez tanto sentindo para mim.

TODO cigarro que coloco na minha boca é atrelado a mil emoções. Na verdade, as emoções me levam a ele, acho que os dois se levam.

Nessa despedida ouvi sobre estar presente, consciente,  deixar os pensamentos passarem e preservar o momento agora, respirar, aprender a respirar da forma correta, estar atento, sem sofrer com o que passou ou está por vir.

Acalme sua mente, desfrute do agora!!!

Como estou fazendo nesse momento, escrevendo e tentando passar uma bruta vontade de fumar, mas deixando claro para minha mente que sei tudo que se passa e vivendo consciente o dissabor do vício.

Estou vivendo o momento e me desligando das cobranças e de todo o resto que me leve para o vício.

Não quero mais o cigarro, não quero mais vícios, minha tia falou no facebook que ela optou por uma vida saudável, sempre tive muito orgulho dos meus tios, sempre os vejo muito determinados, eles sempre traçam as metas deles e seguem realizando.

Mas agora eu decidi: SIM, eu também quero uma vida de saúde.

Não quero ser a velhinha acamada, entubada e toda lascada (não por esse motivo).

Não quero ser a jovem que não sai, que cansa, que fede a cigarro (na verdade eu já fui essa jovem)... "(

Agora quero ser uma mulher, balzaquiana (aprendi esse termo com meu pai rsrsrs), bonita, cheirosa, cheia de vitalidade, sem dores.

Sei, sinto que o cigarro me tira isso.

Por isso digo a vocês: estou há 8 horas sem fumar.

 Os relógios da vida já estão rodando, já me sinto ganhando vida!!!!!

Sei que é difícil seguir consciente na vida.

Seguir sem se furtar, sem se entorpecer, sem se inebriar. E difícil seguir SENTINDO. As vezes tudo que queremos é uma droga para nos "consolar", para nos colocar em estado de torpor, seja ela cigarro, açúcar, sal, cocaina, ansiolíticos,  álcool, antidepressivos. .. seja lícita ou ilícita.

Pessoal, vamos tentar reaprender a se deixar sentir. A vida também é feita disso!

Lambeijos agateijados da felinista que vos fala.

sábado, 18 de julho de 2015

1° dia sem cigarro!!!!

Primeiro dia sem cigarro!!!!

Nossa, que felicidade!

Eu sei que já consegui outras vezes os primeiros dias, mas não deixa de ser uma vitória conseguir novamente.

Para não cair no vício, horários críticos:
Depois do café da manhã
Depois do almoço
Antes ou na hora de ir ao banheiro fazer o número 2
Depois que chegar do trabalho.
Depois do jantar.
Tomando uma cerveja com ou sem amigos
Situações de stress/ansiedade

Chocante como o cigarro está associado à alimentação. É como se fosse uma sobremesa do mal.kkkkkkkk

Dicas da professorinha:
             
Deixar o pensamento passar (segundo pesquisas ele dura em média 5 -eternos -minutos).
Beber água - ajuda, eu juro.
Penso no que vou escrever no blog ou escrevo mesmo.
Reflito em como é importante para mim não entrar nos 30 anos fumando
As dores, fedores, cansaços e falta de ar.

O cigarro é o meio evitável que mais causa câncer de pulmão no mundo.

tá louco?!?!

Não quero isso pra mim!

Hoje é sábado, estou de férias e vou me divertir.

Desejo um dia brilhoso!

lambeijos agateados!

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Dia 16.07.2015 Introdução da Parada

Pronto, aqui estou, na frente do blog, na página aberta. Vamos começar!

Estou há pelo menos 3 horas tentando conseguir começar a escrever no blog. Cheia de ideias na cabeça, muito feliz por perceber que meu pai acredita em mim. E que sim, eu tenho condições de parar de fumar.

Há algum tempo tenho passado por um processo de cura. Sei que até parece conversa de gente doida, o que eu nunca neguei pra ninguém que fosse rsrsrs, mas o que acontece é que estar perto de fazer 30 anos me fez ter outra perspectiva da vida. Não sei, algo me tocou! Muitas coisas mudaram dentro de mim e eu me sinto diferente, maneiras diferentes, vontades diferentes, ideias diferentes e quero também que meus hábitos sejam diferentes. Acho que é bem aquele retorno de saturno, como dizia Renato Russo: E aos 29 com o retorno de saturno, eu aprendi a viver...

Não sei se conseguirei seguir a linha do meu pai e falar só sobre o cigarro. Quero poder fazer minhas confissões sem amarras, sem precisar ficar me podando sobre o que eu vou escrever aqui ou quantas linhas o texto terá. Não que não seja importante que eu faça textos legais, rápidos, fáceis de ler e sem erros gramaticais. Mas entendi que o principal significado de o meu pai ter me dado esse espaço em seu cantinho, foi para através da escrita, ajudar a realizar minha cura, podendo ela, ajudar e incentivar outras pessoas e lógico, receber incentivos (ninguém que me diga que se sustenta sozinho nesse mundo).

Meu pai disse: ESCREVA QUANDO VOCÊ TIVER VONTADE DE FUMAR!

Enfim... o fato é: o principal assunto será o maldito cigarro, mas haverá de tudo que essa cabecinha quiser colocar para fora.

Sejam bem-vindos!

 Lambeijos gateijados de uma felinista ex-fumante!


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Os filhos crescem...e as história se repetem (ou como nossos pais...)

Esta história começou em 06.11.85
Pois é nossos filhos crescem…
Um dia desses, você gritará:
“Por que você não cresce e para de agir como criança?”
E isso acontecerá.
Ou talvez você diga:
“Vá lá fora e arranje alguma coisa para fazer, e não bata a porta!”
E não baterá.
Arrumará o quarto da sua filha com esmero. Jogará fora os adesivos, esticará os lençóis, pendurará as roupas nos cabides, organizará as prateleiras e todos os brinquedos.
Em seguida dirá:
“Agora quero que este quarto fique arrumadinho assim.”
E ele ficará…
Preparará um jantar perfeito, com uma salada onde ninguém “beliscou”, e um bolo sem marcas de dedo na cobertura.
E dirá:
“Finalmente, consegui preparar uma refeição digna de um rei!”
Mas comerá sozinho.
Dirá:
“Quero poder conversar ao telefone sem interrupções.
Sem ninguém pulando ao meu redor. Sem caretas. Silêncio!! Está ouvindo?”
E isso acontecerá.
Suas toalhas de mesa não mais terão manchas de tomate.
Não terá que cobrir o sofá e a poltrona com panos, para protegê-los de traseiros molhados ou pés sujos.
Não encontrará bonecas debaixo do sofá.
Não passará mais noites em claro, junto ao vaporizador.
Não encontrará farelo de pão nos lençóis, nem o chão do banheiro alagado depois do banho.
Acabaram-se os remendos nas pernas das calças, os cadarços molhados e embolados, os elásticos para prender os cabelos.
Imagine um batom sem a ponta estragada!
Poder sair à noite sem ter que arranjar alguém para ficar com as crianças, lavar roupa somente uma vez por semana, ir ao mercado e comprar somente aquilo que deseja.
Como será bom não ter que ir à escola, para reuniões de pais, não ter que levar e buscar ninguém.
Não ganhará mais presentes feitos de papel-cartão e cola.
Ninguém mais lhe dará beijos com a boca suja de bala.
Não haverá dentes de leite para arrancar, nem risinhos no quarto ao lado.
Acabaram-se os joelhos arranhados, acabou-se a responsabilidade.
Restará somente uma voz gritando:
Por que você não cresce logo e pára de agir como criança?
E o silêncio responderá:
Cresci!!!
Minha filha querida!!
Obrigado por fazer parte do teu sonho e do teu caminho.
TE AMO!!
Com Amor, teu Pai







O texto acima um tanto antigo,  serve apenas para apresentar a nova blogueira que a partir de hoje passará a publicar suas experiências sobre a vontade (e necessidade) de parar de fumar.
Ela se chama Marília, é enfermeira, professora, mestranda em Psicologia, apaixonada por seus 4 gatos, feminista convicta e o melhor de tudo. É minha filha!
Que esse blog possa contribuir e te ajudar a deixar de vez o vício do cigarro e que daqui há alguns anos você possa, como eu dizer: EU VENCI O VÍCIO DO CIGARRO.
Não tem o dia certo, nem a hora certa de parar de fumar. O dia é hoje e a hora é agora!
Te amo filha.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014




Dia 09 de novembro estarei completando exatos 7 anos que parei de fumar!
Pensei que jamais conseguiria ficar nem um dia sem fumar e já se passaram 2.555 dias sem o maldito cigarro.
Hoje, já tinha até esquecido tanto do blog quanto do dia que decidi parar com o vício e de repente lembrei e resolvi fazer esse pequeno agradecimento, como essa pequena postagem para, quem sabe auxiliar aos que por aqui passarem a acreditar que podem abandonar esse vício que mata milhares de pessoas diariamente.
Acredite. Fumar não é bom! faz mal a tudo! dentes, hálito, pele, olfato, paladar, estomago, ossos e tudo mais. 
Fumar é burrice! fumar é o ato mais insano que alguém pode cometer contra si mesmo.  
Espero retornar daqui há alguns anos e descobrir que ajudei algumas pessoas, por intermédio desse blog a abandonar de vez com o fumo.
Abraços a todos


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Parar de fumar parece mágica.

Campanha legal indicada pela leitora Guadalupe Albuquerque. É um vídeo produzido pela Unimed POA especialmente para o Dia Nacional do Combate ao Fumo.

"Depois da bem sucedida ação 11 Minutos de Vida, a Unimed-POA volta a gerar barulho para atentar as pessoas sobre o Dia Nacional de Combate ao Fumo. No dia 29 de Agosto, último domingo, o mágico Kronnus, um dos maiores ilusionistas do país, saiu às ruas de Porto Alegre com a missão de surpreender os fumantes. Discretamente, ele abordava as pessoas pedindo um cigarro. Fumante que é fumante não deixa um ‘colega’ na mão, né? O que os abordados não sabiam é que o mágico realizaria números de close up com esse cigarro, deixando uma mensagem no ar: parar de fumar parece mágica."

Não deixem de assistir o vídeo abaixo:


quarta-feira, 11 de agosto de 2010

PASSEI DOS 1000!


Lógico que nem pensava mais nisso (cigarro) e acordei de madrugada meio sem sono - nunca mais dormi mal, ou melhor fazem mais de 1000 dias, desde que parei de fumar, no dia 09 de novembro de 2007 que não soube mais o que era dormir mal.

Naquele dia exatamente, já passavam 4:30 da manhã e eu não conseguia pregar os olhos em razão da tosse que não me deixava sossegado por mais de 15 minutos. Naquele bendito dia resolvi levantar e parar de fumar definitivamente, depois de 31 anos "chupando" fumaça!

Incrível como minha vida se modificou a partir daquele instante. Descobri ser capaz de muitas coisas e dentre elas, ser capaz de modificar hábitos e costumes em mim mesmo. Descobri que não dependia de remédios, terapias, conselhos ou qualquer outro meio para deixar de fumar. Estava tudo em mim o tempo todo.

Passar de 1000 dias em qualquer coisa que você almeje na vida é um marco fantástico e cheio de simbolismo. É como se você estivesse até então, acorrentado às suas memórias e elas insistissem em se fazer presentes em determinados momentos lhe puxando para o passado como se presente fosse...explicando melhor: Eu fumei 31 anos e hoje nem me lembro mais como era fumar! mas minha memória me diz que um dia eu fiz isso, apesar das minha lembranças estarem indo aos poucos sumindo e sumindo.

Assim como os muitos amigos que por aqui passaram e que conquistei ou eles me conquistaram não importa. Aqueles que sempre tinham uma palavra mais amiga, um sorriso e um abraço virtual guardados, a vocês todos Vinho, Mary, Vivi, Freja, Cláudio, Beto, Ana, Karenin...poxa não quero esquecer ninguém, mas vocês sabem o quanto a companhia de vocês foi e continua sendo importante para mim.

OBRIGADO A TODOS VOCÊS!

Qual será o próximo desafio?