quinta-feira, 16 de julho de 2015

Os filhos crescem...e as história se repetem (ou como nossos pais...)

Esta história começou em 06.11.85
Pois é nossos filhos crescem…
Um dia desses, você gritará:
“Por que você não cresce e para de agir como criança?”
E isso acontecerá.
Ou talvez você diga:
“Vá lá fora e arranje alguma coisa para fazer, e não bata a porta!”
E não baterá.
Arrumará o quarto da sua filha com esmero. Jogará fora os adesivos, esticará os lençóis, pendurará as roupas nos cabides, organizará as prateleiras e todos os brinquedos.
Em seguida dirá:
“Agora quero que este quarto fique arrumadinho assim.”
E ele ficará…
Preparará um jantar perfeito, com uma salada onde ninguém “beliscou”, e um bolo sem marcas de dedo na cobertura.
E dirá:
“Finalmente, consegui preparar uma refeição digna de um rei!”
Mas comerá sozinho.
Dirá:
“Quero poder conversar ao telefone sem interrupções.
Sem ninguém pulando ao meu redor. Sem caretas. Silêncio!! Está ouvindo?”
E isso acontecerá.
Suas toalhas de mesa não mais terão manchas de tomate.
Não terá que cobrir o sofá e a poltrona com panos, para protegê-los de traseiros molhados ou pés sujos.
Não encontrará bonecas debaixo do sofá.
Não passará mais noites em claro, junto ao vaporizador.
Não encontrará farelo de pão nos lençóis, nem o chão do banheiro alagado depois do banho.
Acabaram-se os remendos nas pernas das calças, os cadarços molhados e embolados, os elásticos para prender os cabelos.
Imagine um batom sem a ponta estragada!
Poder sair à noite sem ter que arranjar alguém para ficar com as crianças, lavar roupa somente uma vez por semana, ir ao mercado e comprar somente aquilo que deseja.
Como será bom não ter que ir à escola, para reuniões de pais, não ter que levar e buscar ninguém.
Não ganhará mais presentes feitos de papel-cartão e cola.
Ninguém mais lhe dará beijos com a boca suja de bala.
Não haverá dentes de leite para arrancar, nem risinhos no quarto ao lado.
Acabaram-se os joelhos arranhados, acabou-se a responsabilidade.
Restará somente uma voz gritando:
Por que você não cresce logo e pára de agir como criança?
E o silêncio responderá:
Cresci!!!
Minha filha querida!!
Obrigado por fazer parte do teu sonho e do teu caminho.
TE AMO!!
Com Amor, teu Pai







O texto acima um tanto antigo,  serve apenas para apresentar a nova blogueira que a partir de hoje passará a publicar suas experiências sobre a vontade (e necessidade) de parar de fumar.
Ela se chama Marília, é enfermeira, professora, mestranda em Psicologia, apaixonada por seus 4 gatos, feminista convicta e o melhor de tudo. É minha filha!
Que esse blog possa contribuir e te ajudar a deixar de vez o vício do cigarro e que daqui há alguns anos você possa, como eu dizer: EU VENCI O VÍCIO DO CIGARRO.
Não tem o dia certo, nem a hora certa de parar de fumar. O dia é hoje e a hora é agora!
Te amo filha.

2 comentários:

Marília disse...

Muito emocionanda, obrigada pai!
Esse aqui é o blog do meu pai e agora meu, é que ele me emprestou para me recuperar e ajudar a vencer o vício do cigarro.
Sim, eu fumo e a maioria de vocês provavelmente não sabia disso pq tenho muita vergonha de mostrar... mas essa história você lerá lá no blog Café sem Fumaça.
Espero que ele me ajude e possa ajudar outras pessoas a se desfazer desse vício horrível.
Pai, não sei se conseguirei escrever tão bem quanto o senhor ou se conseguirei lagar definitivamente essa droga, mas uma coisa quero que o senhor saiba: Eu estou tentando.
"Só não alcança quem desiste."

Antonio Ferro disse...

Se já está pensando em parar de fumar já é uma vitória. Parabéns pela iniciativa filha, mais tarde seu corpo e sua saúde vão agradecer.